Projeto Football for Hope integra turmas do Rio e de São Paulo

Adolescentes e jovens trabalharam as diversas possibilidades da prática do futebol através do projeto Football for Hope, que tem o apoio da FIFA

JAeFHope-682

Ao longo dos últimos meses, jovens de 12 a 18 anos da Fundação Gol de Letra participaram de um projeto no qual foram estimulados a pesquisar, dialogar e aprender sobre as mais diversas formas de praticar o futebol ao redor do mundo.

Financiado pela FIFA, o projeto Football for Hope envolveu cerca de 60 participantes dos programas Jogo Aberto e Dois Toques, das unidades da Gol de Letra, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Nas atividades propostas, os educadores trabalharam com os adolescentes e jovens as possibilidades da prática do futebol em diferentes formatos, estimulando-os a pesquisarem sobre  o tema e depois compartilharem com os colegas o que aprenderam. As descobertas fomentaram diálogos entre os participantes para depois serem colocadas em prática.

JAeFHope-473

20141105_Football for Hope_Ana Mesquita (183)

Um dos formatos que chamou mais a atenção de todos foi uma atividade com bola praticada na Birmânia (Myanmar), conhecido como Chinlone ou Caneball, que mistura esporte e dança. Nesta atividade, não há o foco de ganhar ou perder, pois não há adversários, o jogo é similar ao “Keepie uppie”(embaixadinhas). “Para eles foi bem diferente e isso traz uma riqueza enorme, pois aqui na Gol de Letra trabalhamos muito a diversidade e a inclusão; em tudo que fazemos”, explica Sérgio Andrade, coordenador pedagógico do programa Jogo Aberto.

Segundo Sóstenes Brasileiro de Oliveira, diretor geral da Fundação Gol de Letra, iniciativas como essa da FIFA, aliada aos conceitos de esporte e educação praticados pela Gol de Letra, vão ao encontro da missão da Fundação, que é contribuir para a formação cultural e educacional de crianças e jovens para que eles possam atuar com autonomia na transformação de suas realidades.

Turmas se encontraram durante Festival em São Paulo

Como forma de integração entre as turmas que participaram do projeto, de 4 a 6 de novembro foi realizado na capital paulista o Festival Jogo Aberto Football for Hope.

A programação começou com uma visita monitorada ao Museu do Futebol, que encantou a todos. Em seguida, os participantes ficaram reunidos no Centro de Práticas Esportivas da USP – Cepeusp, onde puderam interagir e trocar experiências sobre as atividades que pesquisaram e desenvolveram ao longo do projeto.

football for hope

“O mais interessante de ter participado foi o aprendizado de modalidades diferentes de futebol e jogos coletivos. Pude ter uma outra visão do que é futebol e viajar para São Paulo foi maravilhoso”, contou Jonathan Viana, jovem do Rio de Janeiro.

O ponto alto do Festival aconteceu no CEU Jaguaré, com a demonstração prática dos trabalhos realizados, a participação em fóruns de debates e a confraternização de encerramento.

O encontro contou com a presença de Raí Oliveira, instituidor da Fundação Gol de Letra, que acompanhou de perto as atividades. “A riqueza desse projeto está no encontro e na troca de aprendizado, que é a base das atividades da Gol de Letra. Duas coisas me chamaram a atenção durante o Festival. A primeira foi integração entre os educadores e os meninos e meninas. E a segunda é que esses jovens tiveram a oportunidade de aprender e vivenciar todo o processo de planejamento, desenvolvimento, pesquisa e apresentação de um projeto cujos resultados foram eles os responsáveis“, avaliou ele.

JAeFHope-56

O resultado da pesquisa feita pelos jovens, a avaliação final do projeto e as fotos e vídeos de todas essas experiências serão divulgados em breve em uma publicação online.

Seja um sócio titular e contribua para transformação de milhares de crianças e jovens da Fundação Gol de Letra. Acesse www.goldeletra.org.br/doe

Fotos: Ana Mesquita

Responsa Graffiti Fest#3: Arte e conscientização dentro das vielas da Vila Albertina

Num só evento, a turma do Graffiti juntamente com as oficinas de Música, Artes Visuais, Educomunicação, Núcleo de Projetos, Auxiliar de Escritório e Marcenaria puderam mostrar o que tem aprendido em suas aulas.

No dia 31 de maio aconteceu a 3ª edição do Responsa Graffiti Fest, evento organizado pelo Programa de Jovens da Gol de Letra. Neste ano, representando o programa Jovens de Responsa, parceria da Fundação com a AmBev,  o coletivo Art Útil entrou em ação com belas pinturas, trazendo cor e vida para aquele ambiente. Com a ajuda das crianças da comunidade, os jovens da Gol de Letra pintaram parte da escadaria da viela, muros e até  a entrada de algumas casas.20140531_Graffiti Fest 3_Victor Prudencio (76) (Copy)

A oficina de Núcleo de Projetos trouxe uma intervenção diferente que fazia os moradores pensarem e respeitarem a diferença de cada pessoa. Mesmo sem muito espaço, os jovens da oficina de música “fizeram um som” junto aos moradores, outros tiravam fotos, ajudavam com a pintura ou falavam sobre o uso excessivo de álcool. Todos em um só intuito, trazer vida para a comunidade.

Seu Gerson, morador conhecido da região, acompanhou de perto todo o evento e agradeceu muito a todos que estavam trabalhando para trazer um novo brilho aquele espaço. “Só vocês da Gol de Letra mesmo para fazer estas coisas maravilhosas para nossa Vila Albertina” disse seu Gerson com o imenso sorriso no rosto ao educador de Graffiti, Dingos.20140531_Graffiti Fest 3_Victor Prudencio (14) (Copy)

Alguns jovens das oficinas são moradores daquela viela, em especial a Paloma que não parou um instante se quer. Ela ofereceu sua casa para que os jovens pudessem guardar o material que estava sendo usado no evento ou até mesmo para tomar um copo d’água, enquanto ela ajudava na organização do evento, as crianças na pintura e aproveitava para praticar um pouco das suas técnicas de graffiti.20140531_Graffiti Fest 3_Victor Prudencio (87) (Copy)

Com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo em um ambiente de pouca mobilidade, o programa teve dificuldades para mensurar o número de pessoas que participaram do evento. Alguns puderam ficar algum tempo e participaram das atividades, outras pessoas apenas passavam rapidamente e expressavam seu apoio e a necessidade de uma ação como esta, mas uma coisa é certa, que todo elogio, todo agradecimento, todo olhar curioso e todo sorriso pôde dar a certeza de que a missão estava cumprida. Mais cores, vida e respeito para a comunidade da Vila Albertina.

 Seja um sócio titular e contribua para transformação de milhares de crianças e jovens da Fundação Gol de Letra. Acesse www.goldeletra.org.br/doe

Diálogos: Juventude, Arte, Trabalho e Família

Fórum do programa de jovens debate como a família influencia em suas escolhas 

No dia 9 de abril, foi a vez dos jovens do Programa de Jovens se reunirem para mais uma vez discutirem questões ligadas à juventude, porém com uma especificidade: o papel da família em suas escolhas.10154555_589255881170001_4931396514884570425_n

Cinco jovens apresentaram suas trajetórias, contando seus interesses, projeções futuras e qual o papel do Programa de Jovens neste processo. Os jovens participantes foram: Caio (oficina de música), Henrique (Graffiti e Artes Visuais), Manuela (Educomunicação, Núcleo de Projetos e Graffiti), Nivia (oficina de marcenaria Instituto Leo) e Vitória (Artes Visuais, Graffiti e oficina de marcenaria). Cada um dividiu com o grupo um pouquinho de sua história, mostrando a importância da família em diferentes situações:

Manuela, por exemplo, falou de suas referências, das pessoas que a influenciam em sua caminhada, como duas professoras e sua mãe, da qual recebe muito apoio.

Henrique, foi possível ouvir uma fala de muita gratidão pelo espaço que a Fundação representa, as experimentações que aqui consegue fazer e que influenciam muito em sua vida, sempre apoiado igualmente pela mãe.

1981836_589255467836709_8841328710797534539_nVitória  contou a trajetória dentro do Programa de Jovens, participando de diversas oficinas e nos contou como foi o processo de aceitação, aos poucos, da família em relação à oficina de Graffiti.

Caio teve uma fala bastante espontânea e descontraída, esteve muito à vontade para falar de seus processos com o esporte, ao mesmo tempo em que vivencia a música no Programa de Jovens.

Nivia disse é a 1ª vez que participa de uma oficina na Fundação e contou como esse momento de troca está sendo importante para seu retorno aos estudos, ao mesmo tempo em que está se dando muito bem com os novos colegas, construindo novas conexões e perspectivas de futuro. Disse que o apoio da mãe foi fundamental para este retorno aos estudos.10172678_589255697836686_5705757020938782554_n

Após a apresentação surgiram muitas perguntas e depoimentos dos jovens que participam das oficinas e estavam na plateia. Ao final do encontro muitos deles fizeram colocações em relação à Fundação e ao Programa de Jovens, principalmente como local onde é possível experimentar para então decidir por onde seguir.

“As falas dos jovens ajudarão a nós, educadores, a nos dedicar muito mais e me ajudou a ver que estou no caminho certo”, comenta Dingos, educador de graffiti.

No dia 15/05 o Programa de Jovens reunirá educadores, jovens e pais para debater a importância do apoio das famílias nas atividades e escolhas de seus filhos, aproximando cada vez mais os pais da rotina que estes jovens vivem no Programa de Jovens.

Seja um sócio titular e contribua para transformação de milhares de crianças e jovens da Fundação Gol de Letra. Acesse www.goldeletra.org.br/doe

Sarau Mulheres da Vila

Evento do Programa de Jovens fez uma homenagem às moradoras da Vila Albertina

No dia 18 de março, o Programa de Jovens homenageou o Dia da Mulher por meio de um Sarau repleto de comida, poemas, pinturas, música e muita opinião. E nada mais justo do que realizar um evento deste em um local marcado pela luta de mulheres tão importantes para a Vila, o Reciclação (espaço de reciclagem próximo à Gol de Letra)!

Eva, que é idealizadora do projeto Reciclação junto com a agente social Sônia, contou o que representa a reciclagem, seus processos e importância para o meio ambiente. Após essa abertura o Sarau teve duas horas com muitas intervenções das oficinas e equipe do Programa de Jovens e crianças da comunidade.

Sarau - PJ 2014

“Está tudo maravilhoso! Não imaginava que fosse tão bom”, comentou Nivia, jovem da oficina de marcenaria em parceira com o Instituto Leo.

Ao todo foram 26 mulheres da comunidade que participaram do evento, recebendo as homenagens e uma lembrança ao final, produzida pela jovem Paloma.

“Quando tiver mais não deixe de nos convidar”, brincou uma das moradoras da comunidade.

Este sarau marcou o início das atividades em comum das oficinas do Programa de Jovens de maneira muito positiva: intervindo na comunidade, valorizando nossas mulheres e abrindo espaço para expressão dos jovens. O resultado trouxe uma grande alegria aos organizadores da Gol de Letra e às responsáveis pelo Reciclação.

Homenagem a Claudia Rio

“Gratidão a todos os jovens do Programa de Jovens da Fundação Gol de Letra, aos educadores que conheci hoje e aos que já conhecia: GRATIDÃO! GRATIDÃO! GRATIDÃO! Foi maravilhoso! Podemos fazer muitos outros! Quantos quiserem!”, se entusiasma Eva, da ONG Reciclação.

Nós (da Gol de Letra) é quem agradecemos, Eva, por abrir este importante espaço para nós.

Parabéns aos jovens e às mulheres da Vila!