Musicalização infantil e visita à Sala São Paulo

Imagine tudo o que pode acontecer quando se reúne mais de mil crianças entre 7 e 11 anos em uma sala de espetáculos para assistir à apresentação de uma orquestra. A Sala São Paulo, sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e uma das mais importantes casas de concertos e eventos do país, topou o desafio e há alguns anos promove um projeto educacional em que reúne crianças de escolas públicas, particulares e de organizações sociais para ver de perto os músicos e os diferentes instrumentos que compõem uma orquestra, desenvolvendo uma plateia para o futuro.

 

Na semana passada, foi a vez da Fundação Gol de Letra fazer o passeio, com o Programa Virando o Jogo*. Foram quatro turmas, divididas em dois dias: 2ª e 5ª-feira. Para acompanhar o grupo, ninguém melhor do que o educador de música do programa, André Freitas, um dos grandes apoiadores do projeto.

“A oportunidade de ver esses instrumentos de perto, de perceber a organização de uma orquestra, em que cada um toca um pouquinho para compor um som único, faz uma diferença enorme para o dia a dia dentro da sala. Depois daqui, as crianças ficam muito mais interessadas nas atividades”, comenta André.

O evento é realizado sempre com a ajuda de orquestras convidadas. Na quinta-feira foi a vez da Jazz Sinfônica, organizada pelo maestro Fábio, que demonstrou como as orquestras fazem parte do nosso dia a dia.

Durante a uma hora e meia de espetáculo, foram interpretadas músicas de filmes famosos como Batman (que é heroico e sombrio) e Robin Hood (que é heroico, mas alegre) e apresentados os diferentes instrumentos que compõem uma orquestra, mostrando a diferença entre eles.

 

As crianças interagiam o tempo todo com os músicos, respondendo às perguntas, batendo palmas ou estalando os dedos conforme era solicitado, o que chamava a atenção dos adultos presentes, entre eles, Raí.

Fundador da Gol de Letra e atual presidente do Conselho, Raí foi convidado pela Revista Brasileiros para participar do evento e fez questão de ir até a Sala São Paulo e conhecer o projeto ao lado das crianças. “O legal é vir junto com eles, para ouvir os comentários”, se entusiasma.

*O Programa Virando o Jogo é a união do Projeto Histórias em Movimento, patrocinado pelo Programa Desenvolvimento e Cidadania, da Petrobras, e do Projeto Cenas de Crianças, financiado pelo Fundo Municipal da Criança e do Adolescente do Estado de São Paulo (Fumcad), com o apoio das empresas Apsen Faramcêutica, Grupo CCR, Master Foods, Banco Safra, Agência Estado e GloboSat.