A história da Ginástica Rítmica e a Fundação Gol de Letra

Texto: Thaya Pereira*

image

A Ginástica Rítmica (GR) é uma modalidade esportiva olímpica. Originou- se da ginástica moderna, nos séculos XX, na Europa central. E tem como base diversas teorias do movimento do corpo humano, mas principalmente movimento como forma de arte e expressão. Inicialmente sua prática era mais ligada às teorias da dança e musicalidade, e ao longo dos anos foi sofrendo modificações e se tornando uma prática desportiva, dando uso aos 5 aparelhos: Arco, Bola, Maças, Fita e Corda e ganhando cada vez mais complexidade técnica nos elementos corporais: Saltos, Equilíbrios, Pivot (Giros), Flexibilidade. Resumindo: Hoje a ginasta deve desenvolver os elementos corporais com o manuseio de aparelhos, respeitando o contexto artístico da composição coreográfica e tudo isso acompanhando a música e demonstrando uma estética desejada, apresentando beleza, leveza, graciosidade nos movimentos. Oficialmente a GR é praticada apenas por meninas e mulheres.  

image

Apesar da evolução e das conquistas femininas no esporte, ainda hoje, a GR como modalidade olímpica e de rendimento, reforça muito os componentes estéticos em sua prática. Além de toda a complexidade técnica, corpórea, artística, a ginasta precisa ser bela, leve e graciosa. Sem falar dos cabelos, maquiagem, collant, que a ginasta precisa ter para ser apresentar ou competir.  Vale ressaltar também que esse conceito de beleza é atrelado ao perfil de corpo europeu, tanto em características físicas das ginastas de peso e altura, mas também em seus elementos técnicos, muitas vezes deixando de lado a própria cultura corporal brasileira.

image

Na Fundação Gol de Letra, temos entre as modalidades do programa Jogo Aberto, a Ginástica Rítmica, que assim como as demais modalidades esportivas da FGL, trabalha com os princípios do esporte educacional: Inclusão de todos, construção coletiva, respeito à diversidade, educação integral e autonomia.  Nas Aulas de GR da fundação, trabalhamos com diferentes corpos e todos são capazes de participar, as mais altas, mais baixas, mais gordinhas ou magrinhas, as habilidosas, as menos habilidosas, pois são através dos jogos e brincadeiras e das diversas expressões corporais trazida pelas alunas, que aprendemos os fundamentos básicos da GR, sem perder a característica quanto modalidade, mas valorizando as diversidades e respeitando as individualidades, e não rendimento técnico desse corpo.  

image

Se por um lado, como esporte de rendimento por muitas vezes a GR reforça alguns padrões de beleza, aqui vamos questionar e refletir sobre esses padrões. Se exclui quem não se adapta fisicamente e tecnicamente, aqui vamos experimentar juntos, valorizar as diferenças e aprender coletivamente.  Aqui, meninas são acolhidas, incentivadas e encorajadas. A ginástica rítmica não vai segregar, estereotipar ou reforçar, ela vai somar como uma das ferramentas de trabalhar o ser humano em todas suas dimensões.

image

Referências:
http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/108
https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/1133

*Educadora de Ginástica Rítmica do Programa Jogo Aberto – Unidade Rio de Janeiro

image
Free Download WordPress Themes
Download Premium WordPress Themes Free
Download Nulled WordPress Themes
Premium WordPress Themes Download
free online course
download karbonn firmware
Download WordPress Themes Free
download udemy paid course for free