Projeto de inclusão racial financia estudos de 4 jovens da Gol de Letra

Quatro jovens negros atendidos pela Fundação Gol de Letra estão tendo a oportunidade de cursar o ensino fundamental II, médio ou superior em uma instituição particular graças ao projeto Black13, da farmacêutica Abbvie. Acesso à internet, notebook, auxílio alimentação e transporte, aulas de inglês, mentoria com os colaboradores da empresa e acesso exclusivo a uma plataforma online de cursos com certificado da Harvard Business Publishing são outros benefícios concedidos aos escolhidos para participar.

O projeto Black13 foi desenvolvido pela multinacional Abbvie após os incidentes ocorridos com George Floyd em maio de 2020, nos EUA, e com João Alberto aqui no Brasil, em novembro do mesmo ano. Chocada com os episódios, a Abbvie decidiu tomar ações concretas contra o racismo sistêmico no Brasil e se propôs a investir na educação de 13 crianças e jovens negros, por 13 anos, para dar a eles uma oportunidade concreta de mudança.

Segundo a empresa, a escolha do nome se deu porque “Black13” é uma combinação de 2 símbolos negativos no Brasil: black (preto, em inglês), que é usado para nomear algo ruim; e o 13, que é um número de azar. O projeto pretende reverter essa simbologia e transformá-la em algo positivo. Graças ao recente apoio da Allergan Aestretics, empresa ligada à Abbvie que desenvolve produtos estéticos, esses 13 estudantes se tornarão 21.

Para colocar o projeto em prática, a Abbvie procurou diversas instituições no Brasil que tenham missões e valores parecidos com as propostas do Black13, e selecionou diversas crianças e jovens atendidos pela Fundação Gol de Letra, Universidade Zumbi dos Palmares, Projeto Arrastão, Casa José Couto e Instituto Vera Cruz.

Todos os estudantes escolhidos e suas famílias, além de representantes das organizações parceiras foram reunidos juntos à Abbvie e à equipe do Black13 na terça-feira, dia 15 de junho, para se conhecerem e trocarem experiências. Na ocasião, o vice-presidente da Abbvie na América Latina, Santiago Luque, deixou claro o posicionamento da empresa em relação à igualdade racial. “Como uma empresa global com referência no Brasil, não podemos fechar os olhos a essa realidade e devemos atuar para ser uma força que impulsiona a mudança que queremos ver na sociedade”, disse.

O diretor geral da Fundação Gol de Letra, Sostenes Brasileiro, falou sobre a participação da instituição neste projeto e o que isso significa para a Fundação. “A Fundação Gol de Letra nasceu para dar novas oportunidades, assim como o Black13. Trabalhamos com educação integral e, ao longo dos nossos 22 anos de atividades, fomos criando projetos para dar uma base dentro de comunidades periféricas. Definimos que usaríamos o esporte, a cultura e outras linguagens como atrativo para tratar de aspectos importantes, como diversidade de gênero e igualdade racial. São questões importantes que compõem nosso DNA”.

“Acreditamos que a diversidade é a grande riqueza da raça humana e que educação é um caminho importante para o país. Falamos muito de desigualdade e lutamos para reduzí-la, e o Black13 é uma parceria que sempre sonhamos para dar perspectivas e oportunidades concretas”, concluiu Sostenes.

Quem também deu seu depoimento foi Vitória Silva, aluna do 7º ano atendida pela Gol de Letra e selecionada para participar do Black13. “Eu nunca esperava participar desse tipo de projeto e agradeço à Fundação, aos autores do projeto e também à Deus por participar disso. Estou gostando muito da minha escola, consegui fazer alguns amigos e estou aprendendo muita coisa. Estou muito feliz”!

Jaime Almeida, colaborador da Abbvie, um dos responsáveis por coordenar o projeto Black13 e patrocinador pessoal do 13º aluno escolhido, falou sobre os objetivos que o projeto pretende alcançar. “Em paralelo à vida acadêmica, também queremos oferecer aos alunos a possibilidade de frequentar nossa empresa, quando a pandemia acabar. Queremos que eles conheçam diferentes profissões e possibilidades de carreira na empresa, e quem sabe eles não possam se tornar um jovem aprendiz, estagiário ou mesmo colegas de trabalho”.

Para Jaime, “o projeto não vai mudar o mundo, mas pode transformar de forma importante o destino de vida dos estudantes que fazem parte, e de suas famílias também”. É no que a Fundação Gol de Letra acredita e luta para que aconteça!

Premium WordPress Themes Download
Free Download WordPress Themes
Premium WordPress Themes Download
Free Download WordPress Themes
free download udemy course
download redmi firmware
Download Nulled WordPress Themes
free download udemy course