Queda na vacinação acende alerta para doenças já erradicadas no Brasil

Em agosto, o Brasil iniciou um Campanha de Multivacinação, com foco especial no sarampo e na poliomielite, em meio a um quadro de baixa cobertura vacinal que causa preocupação. A campanha precisou ser prorrogada até 30 de setembro por não ter atingido a meta da taxa de vacinação, e 12 estados + Distrito Federal decidiram prorrogar novamente a campanha até 31 de outubro, pelo mesmo motivo.

Dados divulgados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a taxa de vacinação infantil no país vem sofrendo uma queda brusca: a taxa caiu de 93,1% para 71,49%.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacinação contra a poliomielite caiu de 84%, em 2017, para 66% em 2021. A tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola, passou de 86% para 70%. Contra a tuberculose, caiu de 97% para 65%!

Até o dia 17 de outubro de 2022, Dia Nacional da Vacinação, o país tinha atingido 66% da população vacinada contra a poliomielite, o que ainda está bem longe dos 95% estabelecidos como meta pelo Ministério.

Alerta para novas epidemias

O Brasil já ganhou certificado de erradicação da poliomielite, em 1994, e de “país livre do sarampo”, em 2016. A certificação do sarampo foi perdida em 2019, devido à números que já configuram uma epidemia no país, e nosso título de país livre da pólio também está ameaçado, devido à baixa cobertura vacinal.

Um informe técnico sobre a campanha de vacinação contra o sarampo, divulgado em março de 2022, aponta que 39.342 casos de sarampo foram confirmados no período de 2018 a 2021, totalizando 40 óbitos pela doença. Em 2022, até a divulgação do documento, foram confirmados outros nove casos de sarampo.

No caso da Poliomielite, o país não confirma nenhum caso desde 1989, mas a Organização PanAmericana de Saúde (Opas) recentemente voltou a nos considerar um país com alto risco para a doença, bem como outros países das Américas.

Eficácia das vacinas e seu funcionamento

Notícias falsas têm motivado um movimento antivacina nos últimos anos, o que pode estar por trás da baixa taxa de vacinação atual. Mas o fato é que a vacina é uma das soluções da ciência que mais salvaram vidas no último século.

Ao todo, as vacinas salvam 4 vidas por minuto e geram uma economia de 250 milhões por dia, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Elas reduzem as doenças infecciosas, diminuem o nível de hospitalização e promovem a economia de gastos com medicamentos e tratamentos.

As vacinas são substancias biológicas introduzias no corpo para estimular o sistema imunológico humano a produzir os anticorpos necessários para evitar o desenvolvimento de doenças causadas por bactéria, vírus, fungos e outros microrganismos.

Para saber mais sobre a poliomielite e o sarampo, acesse a página oficial do Ministério da Saúde sobre as duas doenças, clicando aqui e aqui.

A Fundação Gol de Letra, enquanto organização da sociedade civil, faz parte da rede de proteção e do sistema de garantia de direitos que deve agir na defesa da infância, além de ser corresponsável pela efetivação destes direitos.

Por esse motivo, solicitamos a carteira de vacinação no ato da matrícula das crianças em nossas atividades, além de orientarmos a população e colaborarmos com os equipamentos de saúde dos bairros atendidos para a divulgação de campanhas de vacinação.

Fontes: Folha de S. Paulo, CNN, Informes técnicos das campanhas de Multivacinação, Poliomielite e Sarampo, do Ministério da Saúde, Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm).

Download WordPress Themes Free
Download Premium WordPress Themes Free
Download Nulled WordPress Themes
Premium WordPress Themes Download
online free course
download mobile firmware
Download WordPress Themes
free download udemy course